9 dicas de arquitetura saudável para o seu bem-estar


Sabe aquela sala que é tão aconchegante, que parece que te convida a ficar mais? Ou aquele quarto que tem um ambiente que te acolhe toda vez que você entra? Com certeza, você já teve estas sensações em algum cômodo ou parte da casa e saiba que isso vai muito além: os ambientes têm influência direta na nossa saúde. É disso que a arquitetura saudável cuida.


E, como estamos vivemos um momento de prevenção e cuidado, é fundamental que a gente também pense sobre o lugar em que moramos e como ele influencia o nosso bem-estar. A Organização Mundial da Saúde (OMS), inclusive, já afirma desde a década de 80 que as edificações podem causar enfermidades nos moradores.


Acredite, existe até um termo para isso: Síndrome do Edifício Doente, que atinge cerca de 30% das construções em todo o mundo. Pessoas podem deixar de apresentar determinados sintomas, assim que se mudam dos locais. Em outros casos, podem evoluir para casos mais sérios.




A Biologia das Construções e a arquitetura saudável


É importante entender que isso tudo ainda é muito novo no Brasil. Na Europa, principalmente na Alemanha, já existem diversos estudos de engenharia e arquitetura saudável que buscam entender o impacto das edificações na saúde das pessoas e, também, propor formas de garantir ambientes saudáveis.


É o que chamam de Biologia das Construções. De forma geral, estes estudos entendem que as construções podem apresentar 3 fatores de risco para as pessoas:


  • Riscos Físicos: a influência dos campos elétricos e magnéticos, ondas eletromagnéticas e acústicas, radioatividade e, até, a própria luz, no uso de celulares, antenas e Wi-Fi, por exemplo.

  • Riscos Químicos: os impactos de elementos químicos — compostos orgânicos voláteis, pesticidas, metais pesado — encontrados em tintas, tapetes e móveis.

  • Riscos Biológicos: as consequências de mofos, ácaros e bactérias, causadas por problemas na construção, iluminação e ventilação do ambiente.



9 dicas para uma arquitetura mais saudável


Para ajudar você a pensar de maneira mais prática, destacamos 9 recomendações com base nos princípios da Biologia das Construções para você entender melhor o conceito de arquitetura saudável. A lista completa com os 25 princípios, criada pelo IBN (Institut für Baubiologie + Ökologie Neubeuern), você pode acessar aqui.



Abra as janelas

Os ambientes precisam de ventilação natural, principalmente aqueles em que passamos bastante tempo, para que os poluentes do ar sejam removidos e a umidade regulada naturalmente. Como é comum que o ar de um ambiente fechado esteja mais poluído que o ar externo, o mais recomendado é garantir o máximo de ventilação ao longo do dia, com prioridade para a parte da manhã, em que o ar está mais puro.




Deixe o sol entrar

Para uma casa ser mais saudável, é essencial que receba luz do sol nos ambientes internos. Não apenas pelo vidro, mas pela abertura de janelas e portas, permitindo a incidência da radiação ultravioleta, que tem propriedade microbicida. Além disso, todos nós precisamos da luz do sol para sintetizar a vitamina D, fundamental para o equilíbrio do cálcio e fósforo.



Use materiais de limpeza mais naturais

É muito recomendado, principalmente nesse período em que estamos mais tempo em casa, substituir os produtos de limpeza tradicionais, com altas concentrações de produtos químicos, por produtos naturais ou manufaturados sem toxicidade.


O contato com produtos convencionais repletos de solventes, fragrâncias artificiais e ácidos, pode causar uma série de danos à saúde, como irritação na mucosa nasal e olhos, dor de cabeça e alergias.

Repense as pinturas

Se você vai aproveitar a quarentena para fazer uma reforma, busque usar tintas naturais para pintar paredes e tetos (forros). As opções mais comuns são as tintas a base de cal, silicatos ou de terra. Evite as tintas industriais, porque elas contêm uma série de compostos químicos, como os COVs – Compostos Orgânicos Voláteis, que liberam compostos químicos que prejudicam a nossa saúde.


Se você já pintou algum ambiente interno, abra janelas e portas para aumentar a ventilação natural, e ligue um ventilador para reforçar a limpeza do ar.

Abuse das plantas

Segundo pesquisas, ter plantas em casa é uma das melhores formas de filtrar uma série de poluentes presentes no ar, alguns deles cancerígenos, inclusive.


Plantas como Areca, Dracena, Hera, Samambaia americana, Lírio da Paz e Pau d'água podem filtrar poluentes do ar presentes em vernizes, tintas e colas. O contato com as plantas também é muito recomendado para nossa saúde psicológica, porque fortalece a sensação de bem-estar e permite uma reconexão com a natureza.


Cuidado com os equipamentos eletrônicos

A primeira recomendação é tirar qualquer equipamento eletroeletrônico próximo à cabeceira da cama. Os campos eletromagnéticos criados pelos aparelhos podem induzir o aparecimento de diversas enfermidades a médio e longo prazo.


Este cuidado também garante melhor qualidade de sono e, naturalmente, uma melhor recuperação do nosso corpo do estresse diário. Como alguns aparelhos podem gerar campo elétrico mesmo desligados, lembre-se de tirá-los da tomada.

Diminua o uso dos equipamentos com luz intensa

Você já deve saber que precisamos evitar o uso excessivo de equipamentos eletrônicos que emitem luz de alto brilho, e também de lâmpadas frias, principalmente em ambientes de repouso, como quartos e salas.


Estas luzes inibem a produção de melatonina, conhecida como o hormônio do sono e que tem a produção condicionada a um ambiente escuro ou com baixíssima luminosidade. A melatonina atua na reparação de células expostas ao estresse, poluição e outras agressões, e auxilia diretamente o nosso sistema imunológico.

Desligue roteadores e celulares

Por que desligar roteadores, celulares e smartphones antes de dormir? Evitamos assim estar, justamente nesse período de recuperação do nosso corpo, sob a exposição de ondas eletromagnéticas de alta frequência. Há uma série de estudos que mostram que as ondas eletromagnéticas de alta frequência geradas por estes aparelhos, causam fortes impactos em nosso organismo.


A opção é usar smartphones modo avião para usar o despertador, deixar computadores e smart TVs conectados por meio de cabos de rede e, quem sabe, voltar a usar telefones com fio, que são muito mais saudáveis para as pessoas.

Influências externas

Seria ideal se os nossos quartos nos deixassem bem isolados de radiações e perturbações externas.


Quando você for construir ou reformar, procure garantir que os quartos possam impedir a entrada de luz de ambientes externos, investindo em esquadrias de maior qualidade ou em cortinas blackout. Vale, também, investir em paredes que façam bom isolamento acústico e garantir o afastamento de fontes, tomadas ou equipamentos ligados, buscando minimizar a poluição eletromagnética.


Além disso, é fundamental cuidar com os materiais e produtos usados na decoração, principalmente em quartos de crianças e pessoas de maior idade. A presença de materiais naturais também permite, mesmo que em nosso subconsciente, trazer essa sensação de conforto e acolhimento.


#ArquiteturaSaudável #saúde #bemestar #quarentena #emcasa #ambientesaudável

Posts Recentes
Arquivo
Procure por Tags
Nenhum tag.
Siga a Tellus!
  • Facebook Basic Square
  • Instagram ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Pinterest

41 . 3045-5900

contato@tellus.arq.br

 

Av.  Pres. Getúlio Vargas, 937

Rebouças, Curitiba - PR

Tellus Arquitetura
  • Arquitetura_saudável.png
  • Grey Instagram Icon
  • Cinza ícone do YouTube
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Pinterest Ícone
  • Grey LinkedIn Icon